Últimas Notícias
Capa / Exclusivo Pai Douglas Jr / MISTÉRIOS DE TRANCA RUA DAS ALMAS
MISTÉRIOS DE TRANCA RUA DAS ALMAS

MISTÉRIOS DE TRANCA RUA DAS ALMAS

Laroyê Exu, Exu Omojubá,
Laroyê Tranca Rua, Tranca Rua é Omojubá


“O sino da igrejinha, faz Belém, blém, blom, O sino da igrejinha faz Belém, bem, blom; Deu meia noite e
o galo já cantou, seu Tranca Rua que é o dono da gira, foi corre gira que Ogum mandou. Seu Tranca
Ruas que é o dono da gira, foi corre gira que Ogum mandou.”

O chamado dessa espiritualidade, que rege a esquerda, estou falando de Tranca Rua, o Exu mais popular, e dentro das igrejas evangélicas, onde qualquer possessão, qualquer problema ele é o culpado. Isso tem um porquê, por ele sim é muito popular, uma falange, uma linhagem de Exu muito grande dentro do plano espiritual e que está presente em todos os terreiros, de Umbanda, Kimbanda, Umbandonblé, de Macumba, vai estar lá presente o Tranca Ruas, e são muitas as falanges dentro da linhagem de Tranca Ruas. Falar de Tranca Rua é uma emoção, é uma oferenda, é uma manifestação de fé, de gratidão, de veneração. A presença energética, a mudança da atmosfera, o silêncio incômodo que se fez no ar na sua chegada.


Considerado a matriz dento da religião, que ensina valores, senso ético e o que é ética dentro de uma religião, dentro da mediunidade e para a vida. Transmitir valores Moraes dentro da religião. Não é um
Exu amoroso, meloso, nem gracioso, e sim muito firme, rígido, tenso, senhor Tranca Rua, um pai para muitos.
Para quem acha que Tranca Ruas é um Exu do mal, inconsequente, estou falando de uma figura espiritual que salva vidas dando e mostrando o verdadeiro sentido da vida, e o sentido da vida eu entendo que encontramos no caminho de fé, no caminho espiritual, numa religião, ou um caminho seja lá qual for que te traga uma experiência mística, de transcendência de suas percepções do que pensa sobre você, sobre o que você entende do mundo até aquele ponto e quando o indivíduo tem uma
experiência mística ele transcende, a postura dele diante da própria vida e tenderá portanto, a fazer da sua vida, uma vida com mais valor, uma vida valorosa.


O valorizar a hierarquia, isso é um princípio ético dentro de uma religião, entender a hierarquia. E quando você entende a hierarquia divina, você entende a hierarquia dentro de um terreiro, a relação dentro do espaço sagrado, como se posicionar lá dentro, a postura diante do sagrado, diante daquilo tudo que é sagrado, desde uma guia, de uma pemba até o espaço físico todo de um Templo, relação de respeito com os outros, de atenção com os outros, de acolhimento aos outros, de silêncio diante as
confissões, silêncio diante as histórias íntimas que podem chegar até você enquanto médium, enquanto sacerdote. Então, isso e muito mais ética, que deve ser desenvolvida dentro da religião, como você se relaciona com outros religiosos que não são da sua casa, que desenvolve seu trabalho,
que tem sua legitimidade, observar sempre pela linha do respeito e da admiração, por ser o que é, de repente alguém que lidera um trabalho, com suas dificuldades todas, valores morais. Valores morais por exemplo dentro da religião é a visão de caridade, do amor, da prática da fraternidade, isso são valores morais. O que eu devo ou não devo, o que me é lícito e o que não me é. Quais são os valores da religião quando tratamos de
caridade. O que é caridade dentro da religião. O que se convive diante das entidades em relação a comunidade.


Exu é uma força, que traz um reflexo, ele tem essa característica de ser o espelho do íntimo dos outros, o revelador, ele tem muito essa característica do oráculo, a pessoa senta na frente dele, e ele primeiro revela o indivíduo para que fique bem claro o entendimento de quem está lidando com quem. Você vem contar historinha furada para Exu, ele ouve, e de repente ele devolve a verdade sobre você mesmo. E você pasma, e ele deixa claro, eu sei quem é você, então é bom que você saiba com quem você está conversando. Então se estabelece uma relação de profunda honestidade com Exu, porque se assim não for, não acontecerá. Tranca Ruas é um Exu legitivamente brasileiro, porque é importante dizer que esses nomes simbólicos,
Exu Tranca Ruas das Almas, Exu Tranca Rua dos Caminhos, Exu Tranca Ruas das Encruzilhadas, Exu Tranca Ruas das Matas, Exu Tranca Ruas das Estradas, Exu Ferrabrás, Exu Marabô, Exu Espada Negra, Exu Morcego, Exu Caveira, Exu do Lodo, e tantos nomes que possa dizer aqui, são nomes simbólicos, Tranca Ruas a gente pode dizer que é um Exu que veio no meio do caminho entre os velhos e o novo, ele está no meio, é o “filho do meio”, ele está no processo de transição, ele é recentemente novo, porque ele vem no século dezenove, já estamos falando de Umbanda surgindo. E quando ele vem: Eu sou Tranca Ruas, pra mim não tem caminhos fechados, ando por todos os caminhos, e tem característica, naquele momento ele é um Exu solícito, aberto, está interessado no outro, no indivíduo.


E aí vão desenvolver idéias, sobre por exemplo, para os mais antigos e tradicionais, Exu Tranca Ruas tem uma série de particularidades, ele vem portanto em um contexto urbano e brasileiro, ele é legitimamente brasileiro, não se aceita essa história de que não, o Tranca Ruas é um senhor, foi um rei, foi um cavalheiro. Não, ele é um cara comum, que vem da rua mesmo, Tranca Ruas surgindo no contexto da figura de Exu na mediunidade, nas religiões afro brasileiras. E Exu Tranca Ruas tem uma intimidade muito grande com a Umbanda em particular, embora vá
encontra-lo dentro da Kimbanda fechada, vai encontra-lo dentro de outros segmentos anteriores a Umbanda, mas vai se consolidar, se popularizar e desenvolver um trabalho muito particular dentro da Umbanda propriamente. A popularização dele se dá pelo trabalho que ele desenvolve, desenvolveu nesse último século dentro da Umbanda.


Salve Tranca Ruas. Tranca Ruas o mistério. O que quer dizer o mistério? Quando falamos de mistério dentro da Umbanda sagrada, estamos falando de qualidade de Deus, ou de manifestação divina, da profundidade Então, ao falar de Tranca Ruas, por exemplo, na escola antiga, na tradição antiga, Tranca Ruas ou qualquer outro Exu não está subjugado a Orixá, então, não tem relação de Exu com Orixá. Por que estou falando isso? Porque quando falo, Tranca Ruas é um Orixá que está à esquerda de Ogum, significa que ele está sob a lei de Ogum, sob a responsabilidade de Ogum, só que isso para a leitura dos tradicionais, bem mais antigos, é repreender Exu, engessá-lo. Significa nada disso, mas enfim. É querer colocar Exu no cabresto e não é isso. Exu tem toda sua particularidade, na escola antiga, povo de rua,
Exu não deve a ninguém, não está subjugado a ninguém, então não há relação de Exu com Orixá, porque até seus nomes são voltados para a cultura africana, então ele é em si somente ele mesmo.


Porque ele é Exu Orixá, se manifestando também, mesmo que seja humano, mas ele está se manifestando em nome de um Exu Orixá. Volto a dizer, o Exu incorporado vem falar, não é Orixá, é entidade, mas ele fala:
Sou Exu Bará, então estamos dizendo que é Exu, Exu África, e é ele mesmo. Mas quando chegamos com a Umbanda e mais recentemente com novos conhecimentos e entendemos que Exu Tranca Ruas é: Tranca – um símbolo de Ogum, porque Ogum em verbo ele é abrir, quando caminho, direção, ele é o que abre. Então trancar é o contrário de abrir, logo, é mistério de Ogum, campo de Ogum. Tranca Ruas, trancar e abrir, é mistério de Ogum. Rua, é caminho, caminho é direcionamento, que é campo de Ogum também. Tranca Ruas é um termo simbólico a esquerda de Ogum, significa uma manifestação de Ogum, ou campo de atuação de Ogum. E quando diz Tranca Ruas das Almas então temos essência, fonte e campo de atuação. Qual é a essência ou campo de atuação desse Exu? É Ogum, Tranca Ruas.
Que é um nome só e não dois, tranca ruas é tranca tudo, um nome só. Então, Tranca Ruas das Almas, Almas é um campo de atuação de Obaluayê e Obaluayê é transcendência, evolução. Tranca Ruas das Almas é um Tranca Ruas, um Exu de Ogum que trabalha nos campos de Obaluayê, portanto, tem como especialidade de organizar, ele é um Exu organizador, ordenador, direcionador, da evolução dos indivíduos que ele tem contato. Porque evolução é o campo de atuação de Obaluayê e a essência desse Exu é ser ordenador, organizador, direcionar, porque ele é da lei, é de Ogum. É aquele que põe lei na evolução. Quando um indivíduo cai em suas mãos ele tem seu processo evolutivo todo alterado, modificado, organizado, assim deveria ser. Essa é uma percepção que podemos dizer aqui, já que
temos que dar nomes as coisas, moderna.


Antes, nenhum Exu estava sobre rege de nenhuma lei, mas agora vamos começar a entender que Exu está a serviço dos Orixás, não como quem tem obrigação, mas porque é um processo natural da evolução de todos nós no planeta. Eu estou, você está, todos nós somos filiados pelas divindades, e
nós na Umbanda somos monoteístas, não acreditamos em Deus, acreditamos em Deus Olorun e divindades, seus braços que manifestam-se em sua criação e essas divindades que estão depois propriamente de Deus, está todas as criações, criaturas e criados do universo que recebe a imantação dos Orixás. Logo, Exu Tranca Ruas é um espírito humano que teve sua trajetória e no momento do seu processo evolutivo foi acolhido pela vibração de Ogum, a sua esquerda, nas trevas, para desenvolver
todo um trabalho na espiritualidade, e que recebe o símbolo, a falange, o emblema Tranca Ruas. E depois se define qual o campo de sua atuação. E aí que surge Tranca Ruas das Almas, Tranca Ruas das Pedreiras, Tranca Ruas dos Caminhos, Tranca Ruas das Estradas, Tranca Ruas das Matas, Tranca Ruas das Encruzilhadas, Tranca Ruas das Sete Encruzilhadas e por aí vai.
Então, essência e campo de atuação, é isso que temos que pensar. Orixá Tranca Ruas, não é que não tem Orixá Tranca Ruas, mas tem o senhor Tranca Ruas, o primeiro, a mente por trás da linhagem, a mente que chamamos na Umbanda Sagrada de trono, a força mental que sustenta todos os Tranca Ruas e que está ligado a Ogum na criação divina, a ancestralidade dele está em Ogum. Esse senhor Tranca Ruas é o mistério porque ele é a fonte, é a origem da falange, da linhagem. Veja bem, Tranca
Ruas é uma linhagem de Exu e dessa linhagem vão surgir as falanges, que são todos esses Tranca Ruas e muito mais do que falei aqui. se estamos aqui, é porque essa força de trabalho, esse mistério Tranca Ruas e suas falanges, estão abertas e permitindo que eu e você entremos nesse mistério e façamos o melhor uso dessa energia, e se você ajoelhar e pedir axé, força, guia e proteção de um Tranca Ruas, haverá ali um Tranca Ruas para te ouvir, acredite nisso. E se é pela via da magia, você terá também o
zelo de um Tranca Ruas, porque há um nome sagrado que é Tranca Ruas, há um objetivo sagrado, pontual, positivo, específico. Então essa é a magia revelado para nós, e que podemos usá-la, qualquer um, não importa se você trabalha ou não com Exu Tranca Ruas, mas você pode usar. É ele quem
permite.

Deixe uma resposta